A indústria nacional enfrentou dificuldades desde o início deste ano. Apenas no primeiro semestre, 54% dos segmentos industriais brasileiros tiveram queda, segundo a revista Isto é. Isso colocou o setor em alerta, principalmente entre os segmentos de calçados, têxtil e farmacêutico, que enfrentam mais problemas desde o outrora de 2018.

Mas o que está por trás de números tão aterradores? Segundo os especialistas é a falta de demanda e as condições instáveis da economia que faz com que a produtividade despenque, bem como as vendas. Isso vem afetando ainda os fabricantes de bens intermediários, segmento que fornece insumos para a indústria e que serve de termômetro para todo este contexto.

Além da demanda da indústria nacional

Não há demanda devido ao alto índice de desemprego e falta de políticas públicas que motive todos os setores a criarem novas vagas. A precarização do mercado é outro fator negativo. Com grande parte dos brasileiros sem renda fixa e sem crédito, o número de compras despenca. A instabilidade política é outro motivo apontado pelos especialistas, uma vez que neste período iniciou-se um novo governo.

Problemas com as exportações também aparecem como gatilho para a queda dos números da indústria nacional. O setor registrou um retrocesso de 1,8% no primeiro bimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado. “A realidade é que a economia não está andando na velocidade necessária”, afirma o executivo.

O que fazer?

O Brasil sempre enfrentou crises econômicas e elas sempre poderão ocorrer. Isso não impede do gestor da indústria buscar seus próprios meios de crescimento enquanto o mercado estiver estagnado. O primeiro passo é fazer uma análise técnica da sua empresa – sua capacidade, suas metas, seus diferenciais, seu enquadramento tributário, etc. Um consultor contador pode lhe ajudar a apontar problemas internos e buscar alternativas tributárias e jurídicas que tornem o seu negócio mais enxuto.

A inovação e a capacidade de se diferenciar deve ser uma lição de casa inclusive para a indústria. Nos próximos anos devem permanecer no mercado que lança diferenciais e agregue uma experiência positiva ao consumidor final. A qualificação da mão de obra e o investimento em tecnologia são soluções que trazem resultados imediatos – e não se trata de grandes investimentos ou a aquisição de maquinário, mas de ajustes tecnológicos e de gestão estratégica que integrem os setores da empresa através de recursos digitais inteligentes, adaptando o negócio à chamada transformação digital. Buscar novos mercados é outra saída, que deve ser acompanhada por um contador especialista.

Veja também: Indústria 4.0 – O que esperar para 2019? Tendências

Gostou das tendências e soluções para a indústria nacional? Deixe um comentário a seguir e compartilhe estas informações em suas redes sociais. Siga-nos no Instagram!

Share This