Contabilidade para Igrejas | OSP

Contabilidade para Igrejas

 

Muitos imaginam que as Igrejas ou Templos religiosos, por não recolherem valores expressivos de impostos, ficam as margens da fiscalização, muitas vezes esquecidas pelos fisco.

Acontece que as coisas estão mudando. A partir de 2016 as entidades imunes e isentas, onde estão inseridas as Igrejas e Templos, estão obrigadas a entrega da ECF – Escrituração Contábil Fiscal, também conhecida por SPED Contábil.

O que é a ECF?

A Escrituração Contábil Fiscal é a contabilidade da entidade em meio eletrônico. Essa nova obrigação deve ser enviada a Receita Federal do Brasil anualmente a partir de 2016.

Muitos templos e igrejas desconhecem essa nova obrigação e não estão se preparando para cumpri-la. O grande risco, além da multa pela não entrega, é a possibilidade da perda da condição de imune e isenta, resultando no pagamento de impostos.

A partir de 2016 é imprescindível que todos os Templos e Igrejas sejam assistidas por um contador. Somente esse profissional está capacitado para a orientar e entrega da ECF dentro do que exige a Lei.

Quais os dados são enviados na ECF?

Toda movimentação financeira dos Templos e Igrejas serão transmitidos a Receita Federal do Brasil através da ECF. Essa informações a qualquer momento poderá ser analisada pela Receita e também cruzada com outras declarações enviadas por outras entidades, como os Bancos e Imobiliárias.

Isso significa que aquele controle financeiro, muitas vezes feito através de cadernos e planilhas, a partir de agora deverão ser transmitidos ao governo de forma eletrônica.

É muito importante para que o contador consiga cumprir com a entrega da ECF de forma confiável e dentro do prazo, que os dirigentes das Igrejas e Templos mantenham o controle financeiro da entidade, de preferência em um sistema de gestão financeira integrado com o sistema de contabilidade.

Conclusão

Nem mesmo as Igrejas e Templos ficaram de fora da mira da Receita Federal. Além da ECF, existem outras obrigações a serem cumpridas pelas Igrejas e Templos, tais como a ECD (Escrituração Contábil Digital), DIRF, RAIS, DCTF, dentre outras. A única maneira de cumprir com a legislação fiscal é mantendo o controle financeiro da entidade religiosa. É preciso também que esse trabalho seja acompanhamento por um contador, de preferência um especialista no atendimento a Igrejas e Templos.

Desta forma, você poderá ficar tranquilo que tudo esta dentro da Lei e poderá focar no objetivo principal da entidade que é levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível.