Terceiro Setor – Quais as tendências para o segmento em 2019?

Terceiro Setor é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e possui relevância social muito importante para a complexidade da sociedade brasileira. As chamadas entidades sem fins lucrativos são, na verdade, instituições que precisam de uma gestão assertiva para manterem sua sustentabilidade, relevância e credibilidade entre voluntários, financiadores, parceiros e governo. Em 2019, as perspectivas são bastante positivas quanto a seu crescimento e algumas tendências devem favorecê-lo. Veja a seguir!

Contabilidade especializada em Terceiro Setor

Uma tendência que tem chamado a atenção de gestores do Terceiro Setor são as soluções especializadas no segmento. Isso significa optar por um atendimento contábil com um escritório especializado nas demandas fiscais, de folha de pagamento e principalmente contábeis, com o propósito de oferecer soluções para garantir a transparência e o controle do negócio, bem como apontar saídas criativas e satisfatórias.

Terceiro Setor

As organizações da sociedade civil sem fins lucrativos podem ser filantrópicas e não gerar lucros, mas buscam pelo ‘superávit’. Isso significa desenvolver produtos e serviços que rendam saldo positivo ao final do exercício, proporcionando, desta forma, fluxo de caixa para investimentos e projetos das entidades. Além disso, há vários benefícios para esta modalidade jurídica – e o contador especialista poderá auxiliá-las em suas demandas.

Transformação Digital para o Terceiro Setor

A transformação digital é um fenômeno global que impacta profundamente as pessoas e empresas e já transforma o mundo contemporâneo. É um caminho sem volta para qualquer tipo de negócio, inclusive as entidades do Terceiro Setor. Plataformas de gestão, ferramentas para processos mais ágeis e enxutos, assistentes virtuais e inteligentes para a conexão com o público, intermediadores de pagamento ‘on-line’ para o recebimento de pagamentos e doações, ‘internet’ na nuvem, sistemas de segurança de dados, ‘Internet’ das Coisas, metodologias funcionais ágeis: estas são algumas tecnologias cada vez mais comuns e pensadas também para o Terceiro Setor.

Comunicação digital integrada

Nem sempre é fácil para a entidade do Terceiro Setor comunicar-se assertivamente com seu público. Mas os recursos digitais estão cada vez mais personalizáveis para que este segmento alcance os seus propósitos. Redes sociais e plataformas digitais dedicadas são a aposta da vez para que estas entidades se expandam no meio digital, seguindo o fluxo das transformações já mencionadas anteriormente. Ter presença digital expandida é imprescindível para as entidades do Terceiro Setor.

A comunicação entre a entidade e o parceiro contábil também deve seguir as tendências digitais. Com a utilização de ferramentas e sistemas de gestão integrados com a contabilidade, a utilização de papeis torna-se praticamente zero, prevalecendo a velocidade e assertividade na troca de informações, resultando em demonstrações contábeis ágeis e transparentes.

Era da Experiência

Vivemos, segundo os especialistas, na chamada Era da Experiência, em que as pessoas buscam em produtos, serviços e projetos uma experiência que lhes façam sentido. E este conceito pode ser bastante aproveitado pelo Terceiro Setor. Mais que oferecer uma solução, há uma nova abordagem que prioriza a conexão pela experiência. É um conceito que será muito difundido nos próximos anos e as entidades do Terceiro Setor, não podem ficar de fora.

Novas fronteiras

Quais áreas que ainda não são exploradas e nas quais há demandas para o Terceiro Setor? A tendência é buscar novas áreas e novas formas de atuação no segmento, com projetos que tenham tanto foco nas dores sociais quanto na inovação.

Veja mais: Imposto de Renda 2019 – Esteja atento às mudanças

O que achou das novidades e tendências para o Terceiro Setor? Deixe um comentário a seguir e compartilhe estas informações em suas redes sociais!

Artigos Recomendados