Entidades sem fins lucrativos – Como atrair mais recursos?

Atrair recursos constantemente é um dos desafios das entidades sem fins lucrativos em qualquer lugar do mundo. No Brasil não é diferente. Mas ações adequadas como o planejamento, a transparência financeira e contábil, uma estratégia de marketing assertiva e o uso de tecnologias digitais poderão impulsionar os resultados das organizações do Terceiro Setor. Veja 5 dicas a seguir!Continue reading

Contabilidade para o Terceiro Setor – Como obter os melhores resultados?

Utilidade pública é o objetivo das entidades do Terceiro Setor – segmento que vem crescendo consideravelmente em todas as partes do planeta. E mesmo não visando lucros, é de extremamente importante ter um acompanhamento contábil eficiente para ter os melhores resultados em suas ações – principalmente na demonstração da aplicação dos recursos obtidos por elas.Continue reading

Inovação abre portas no Terceiro Setor – Benefícios e Isenções Tributárias

Quando pensamos na necessidade de inovação para se diferenciar no mercado, logo imaginamos as empresas que almejam ainda mais lucratividade e produtividade para terem sucesso e que implementam várias metodologias em busca de diferenciais inovadores que as mantenham sustentáveis e atrativas em um contexto cada vez mais acirrado. No entanto, a inovação não é uma demanda exclusiva da iniciativa privada. O Terceiro Setor deve contar com a inovação para abrir portas e expandir a sua atuação.Continue reading

Terceiro setor – Como a contabilidade pode otimizar novos projetos e negócios

O Terceiro Setor está cada vez mais em destaque no mercado e vem alcançando grandes resultados, mesmo em um contexto de crise e instabilidade política. As chamadas entidades privadas sem fins lucrativos, que compõem este segmento possuem grande relevância social e há tempos vêm empregando gestão de alta performance para desenvolver produtos, serviços e projetos de interesse público. E a contabilidade pode ser um recurso importante para trazer à luz novas oportunidades. Veja a seguir algumas destas possíveis contribuições!

Terceiro Setor

O Terceiro Setor – O que é?

Para se ter uma ideia, a sociedade civil brasileira está organizada juridicamente em três setores:

  • Primeiro Setor – Refere-se à Administração Pública, e está ligado a questões públicas de interesse coletivo e social;
  • Segundo Setor – São as empresas privadas, ligadas a questões de interesse individual e com finalidade lucrativa;
  • Terceiro Setor – Constituído por entidades privadas, que se preocupam com as questões de interesse público, sem fins lucrativos.

O Terceiro Setor vem se destacando em desenvolvimento, resultados e vem abrindo novas fronteiras. As instituições sem fins lucrativos produzem e comercializam bens e serviços, com foco em interesses sociais, mas não são governamentais e nem visam lucro. Atingem uma importante demanda, muitas vezes negligenciada pelos outros setores: o bem-estar social. São entidades que atuam em muitos segmentos através de atividades filantrópicas, como os produtos e serviços com foco na melhoria na qualidade de vida, no atendimento médico, nos projetos culturais e educativos, na inclusão social ou digital, etc.

Segundo a NBC – Normas Brasileiras de Contabilidade, “as entidades sem fins lucrativos têm como objetivo principal garantir os direitos sociais básicos e combater a exclusão social, buscando uma sociedade mais justa e equilibrada”. São fundações, ONG’s, instituições de assistência social, sociedades beneficentes, igrejas, clubes, partidos políticos, conselhos de classe, etc., que se formam para alcançar interesses comuns. Este segmento é mantido com as iniciativas privadas, doações e até mesmo repasses de verbas públicas.

Desenvolver projetos inovadores e que atendem demandas relevantes da sociedade ajuda a impulsionar a economia, gerando empregos, desenvolvendo novos produtos e serviços e dialogando com outros setores. O Terceiro Setor tem também uma forma específica de gestão, por mais que utilize mecanismos que quaisquer outros tipos de empresas.

A gestão no Terceiro Setor deve ter foco tanto nos bons resultados (mesmo não visando lucros) e na transparência, uma vez que recebe apoio de investidores, filantropos, entre outros interessados, e faz parcerias com diferentes tipos de empresas. Estar quites com o governo é essencial para manter a sua credibilidade e alcançar novos investimentos.

Contabilidade e Terceiro Setor

O Terceiro Setor não tem fins lucrativos, mas as entidades precisam ser assertivas e de alta performance para se manterem sustentáveis, como em qualquer negócio. Possuem obrigações fiscais e tributárias específicas. E assim como qualquer empresa, possui a necessidade de ter um apoio contábil que a ajude a garantir a transparência de suas contas, a cumprir com suas obrigações e a direcionar para oportunidades de mercado que façam sentido para a organização.  

A Contabilidade pode contribuir amplamente com empresas do Terceiro Setor. Veja alguns benefícios possíveis:

  • Otimizar o enquadramento fiscal e jurídico.
  • Fazer o gerenciamento de demonstrativos contábeis em diferentes fases do ano e da própria entidade do Terceiro Setor, contribuindo para a sua transparência.
  • Como as entidades do Terceiro Setor podem desenvolver produtos e serviços, mas o lucro e o superávit devem ser revertidos para a manutenção da instituição, o escritório contábil pode auxiliar na demonstração do trabalho, apresentando a destinação dos recursos arrecadados.
  • Contribuir para a imagem positiva da empresa.
  • Auxiliar no entendimento dos benefícios e vantagens garantidas às entidades deste segmento, com foco nas oportunidades de crescimento e sustentabilidade da empresa.
  • Auxiliar nas demandas legais e trabalhistas referentes aos profissionais contratados e atuantes. Por exemplo, estas instituições estão sujeitas a apenas 1% de recolhimento do PIS sobre a folha de salários, são isentas de recolhimento da COFINS e a Lei 9.532/1997 garantiu a imunidade de IRPJ para as entidades sociais e educativas.
  • Garantir que estas entidades sigam os princípios da Lei 6.404/1976, referente aos Terceiro Setor.

Clareza e precisão na demonstração das atividades operacionais das entidades do Terceiro Setor é o objetivo central da Contabilidade aplicada ao segmento. Organização e transparência das informações trazem junto aos voluntários, doadores, parceiros e o governo a credibilidade, que é a essência dessas organizações.

VEJA TAMBÉM:Bloco K do SPED Fiscal – Prazo em janeiro de 2019 – Como fazer?

Gostou do artigo sobre as contribuições da Contabilidade para o Terceiro Setor? Deixe um comentário a seguir e compartilhe estas novidades em suas redes sociais!

 

Terceiro Setor – Quais as tendências para o segmento em 2019?

Terceiro Setor é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e possui relevância social muito importante para a complexidade da sociedade brasileira. As chamadas entidades sem fins lucrativos são, na verdade, instituições que precisam de uma gestão assertiva para manterem sua sustentabilidade, relevância e credibilidade entre voluntários, financiadores, parceiros e governo. Em 2019, as perspectivas são bastante positivas quanto a seu crescimento e algumas tendências devem favorecê-lo. Veja a seguir!

Contabilidade especializada em Terceiro Setor

Uma tendência que tem chamado a atenção de gestores do Terceiro Setor são as soluções especializadas no segmento. Isso significa optar por um atendimento contábil com um escritório especializado nas demandas fiscais, de folha de pagamento e principalmente contábeis, com o propósito de oferecer soluções para garantir a transparência e o controle do negócio, bem como apontar saídas criativas e satisfatórias.

Terceiro Setor

As organizações da sociedade civil sem fins lucrativos podem ser filantrópicas e não gerar lucros, mas buscam pelo ‘superávit’. Isso significa desenvolver produtos e serviços que rendam saldo positivo ao final do exercício, proporcionando, desta forma, fluxo de caixa para investimentos e projetos das entidades. Além disso, há vários benefícios para esta modalidade jurídica – e o contador especialista poderá auxiliá-las em suas demandas.

Transformação Digital para o Terceiro Setor

A transformação digital é um fenômeno global que impacta profundamente as pessoas e empresas e já transforma o mundo contemporâneo. É um caminho sem volta para qualquer tipo de negócio, inclusive as entidades do Terceiro Setor. Plataformas de gestão, ferramentas para processos mais ágeis e enxutos, assistentes virtuais e inteligentes para a conexão com o público, intermediadores de pagamento ‘on-line’ para o recebimento de pagamentos e doações, ‘internet’ na nuvem, sistemas de segurança de dados, ‘Internet’ das Coisas, metodologias funcionais ágeis: estas são algumas tecnologias cada vez mais comuns e pensadas também para o Terceiro Setor.

Comunicação digital integrada

Nem sempre é fácil para a entidade do Terceiro Setor comunicar-se assertivamente com seu público. Mas os recursos digitais estão cada vez mais personalizáveis para que este segmento alcance os seus propósitos. Redes sociais e plataformas digitais dedicadas são a aposta da vez para que estas entidades se expandam no meio digital, seguindo o fluxo das transformações já mencionadas anteriormente. Ter presença digital expandida é imprescindível para as entidades do Terceiro Setor.

A comunicação entre a entidade e o parceiro contábil também deve seguir as tendências digitais. Com a utilização de ferramentas e sistemas de gestão integrados com a contabilidade, a utilização de papeis torna-se praticamente zero, prevalecendo a velocidade e assertividade na troca de informações, resultando em demonstrações contábeis ágeis e transparentes.

Era da Experiência

Vivemos, segundo os especialistas, na chamada Era da Experiência, em que as pessoas buscam em produtos, serviços e projetos uma experiência que lhes façam sentido. E este conceito pode ser bastante aproveitado pelo Terceiro Setor. Mais que oferecer uma solução, há uma nova abordagem que prioriza a conexão pela experiência. É um conceito que será muito difundido nos próximos anos e as entidades do Terceiro Setor, não podem ficar de fora.

Novas fronteiras

Quais áreas que ainda não são exploradas e nas quais há demandas para o Terceiro Setor? A tendência é buscar novas áreas e novas formas de atuação no segmento, com projetos que tenham tanto foco nas dores sociais quanto na inovação.

Veja mais: Imposto de Renda 2019 – Esteja atento às mudanças

O que achou das novidades e tendências para o Terceiro Setor? Deixe um comentário a seguir e compartilhe estas informações em suas redes sociais!