Gestão Remota – É possível? Como implementar?

gestão remota

Em tempos de pandemia de coronavírus, muitos conceitos até então desconhecidos do grande público vieram à tona e se popularizaram – é o caso do home office e da gestão remota. Este é um meio de gerir pessoas, processos e negócios, de forma geral, com o uso essencial da tecnologia. Veja mais a seguir e conheça as suas vantagens.Continue reading

Compartilhe:

Valuation e Geração de Valor no Pós-Pandemia

valuation

O que pensar sobre valuation e geração de valor para empresas em um cenário tão caótico como o da pós-pandemia? É uma tarefa que assusta muitos empresários, principalmente aqueles que sentiram que a sua empresa perdeu valor durante este episódio de pandemia por coronavírus. Outras empresas, no entanto, geraram ainda mais valor ao seu negócio. Veja a seguir um pouco desta reflexão e quais são as tendências para o próximo ano.Continue reading

Compartilhe:

Planejamento estratégico para empresas pós-pandemia de coronavírus

planejamento estratégico

Planejar é preciso! Inclusive em um momento como esse, pós pandemia.

A alma de uma empresa deve ser o seu planejamento. É ele que indica o rumo e engaja as pessoas envolvidas em um fim comum, tornando o previsto em realidade. O planejamento estratégico refere-se a um conjunto de recursos metodológicos empregado em definir o estabelecimento de metas e objetivos, o empreendimento de ações, a mobilização de recursos e a tomada de decisões, visando o sucesso em curto, médio e longo prazo mesmo neste período incerto, pós pandemia do Covid.Continue reading

Compartilhe:

Gestão de Crise – 5 ferramentas essenciais para a sua empresa

gestão de crise

Há muitas maneiras de uma empresa passar por crises: problemas financeiros, problemas jurídicos, problemas de força maior, eventos negativos associados aos seus produtos, serviços ou atendimento, impressão negativa indireta, etc. Crises acontecem com qualquer negócio e o problema não está na crise em si, mas na forma com o mercado percebe como a empresa se comporta diante destes eventos.Continue reading

Compartilhe:

Aprendizados da COVID-19 e novas metodologias de gestão de negócios

Covid

A pandemia de coronavírus trouxe muitas perdas para todos os países do planeta, seja as vidas perdidas, os impactos econômicos e financeiros, o desemprego e a queda do consumo, o isolamento necessários, entre outros desafios. Mas trouxe também alguns aprendizados da COVID-19 em relação a forma de gerir negócios, que com certeza poderão ser replicados nos próximos meses e anos. Além disso, são ideias e técnicas para o gestor usar independentemente da situação em que se encontra, ou seja, mesmo em um contexto sem pandemia. Confira!Continue reading

Compartilhe:

Pandemia de Coronavírus – Até quando vai existir?

pandemia de coronavírus

A Pandemia de Coronavírus trouxe uma nova realidade para todo o planeta. Muitas pessoas se perguntam até quando precisarão ficar isoladas em casa em quarentena, quando retomarão os seus trabalhos e negócios. Muitos enfrentam as determinações do governo estadual e cobram a liberação do funcionamento de empresas, com medo de terem ainda mais prejuízos.

Mas, afinal, quando é que a vida volta ao normal e as atividades devem retomar? É importante compreender que a pandemia de coronavírus, que causa a COVID-19 e vem levado à óbito milhares de pessoas em todos os países, é algo que não depende da sua vontade ou da dos governantes.

Compreendendo a pandemia de coronavírus

Uma pandemia é uma epidemia de doença infecciosa que se espalha entre a população localizada numa grande região geográfica como, por exemplo, um continente, ou mesmo o Planeta Terra. Ela já está presente em todos os continentes. Isso significa que, mesmo que haja medidas de prevenção, está fora de controle. Não há vacina e os tratamentos ainda são limitados e pouco específicos.

O isolamento social e as medidas de higiene são as únicas maneiras de prevenir que o coronavírus se alastre. O coronavírus é altamente contagioso. A todo momento os meios de informações noticiam os dados (de infectados, vítimas fatais e progressão), bem como medidas de alerta sobre o que a população deve fazer.

Brasil X Negação

No Brasil, o pior contexto possível da pandemia ainda nem começou no momento em que este artigo é publicado. Ainda temos uma grande jornada pela frente e dias muito difíceis. Há países com mais de 13 mil mortes, mesmo realizando as medidas de contenção. E ainda há quem esteja em negação.

Por mais que a mídia apresente exemplo de outros países – sejam eles negativos e positivos – há quem não está levando a sério ou não tem dimensão da complexidade do problema. As pessoas precisam trabalhar, as empresas precisam produzir, mas o limite é a iminência das mortes, que por falta de recursos ou pela falta de cuidado, vão acontecer.

Até quando? Não se sabe! Há projeção de 3 meses uma vez instalada a pandemia no país, mas exemplos de países europeus mostram que mais tempo pode ser necessário e que as medidas de isolamento podem fazer a diferença quando bem empregadas, o que impacta também no tempo de duração do problema.

É hora de se ater a fatos

É importante que cada pessoa se atenha aos fatos, buscando fontes seguras de informação. A pandemia ainda nem chegou com força no país. Mas isso vai acontecer. É importante não lutar contra a ideia de que haverá perdas econômicas, pois isso também irá acontecer. Mas que economia é possível recuperar, já vidas, não.

Tudo passa, até mesmo a pandemia de coronavírus

Fazer o melhor possível para evitar a propagação do coronavírus é ainda a melhor saída para que o desenvolvimento econômico e social ocorra o mais rápido possível após a pandemia passar. E ela vai passar. Às lideranças do governo, cabem o apoio financeiro ao trabalhador e às empresas, bem como a clareza acerca de como a população deve fazer a sua parte.

Pensamento e atitude estratégica

O que fazer enquanto a pandemia não acaba? Como preparar a sua empresa? As estratégias devem ser a de gestão de crise, mas também modelando o futuro daqui a alguns meses, seja para a recuperação do negócio ou mesmo a sua expansão e aproveitamento de oportunidades, de forma mais assertiva e planejada, utilizando o tempo a favor. Desespero e desesperança não trazem recuperação, mas o pensamento e a atitude estratégica sim.

Aqui no Blog da OSP Contabilidade, você poderá acompanhar algumas dicas sobre gestão, finanças e superação para o seu negócio. Confira!

O que achou das reflexões sobre a duração da pandemia do coronavírus? Deixe um comentário e compartilhe os conteúdo da OSP Contabilidade nas suas redes sociais. Siga-nos no Instagram!

Compartilhe:

MP da redução de jornada com redução de salário em vigor

MP da redução de jornada com redução de salário

O Governo Federal anunciou nesta quarta-feira, 01 de abril, a MP (Medida Provisória) que permitirá a redução da jornada de trabalho com redução de salário. Trata-se de uma das ações escolhidas para enfrentar a crise provocada pela pandemia de coronavírus. O custo previsto da medida é de R$ 51 bilhões e causou reações controversas à população. Veja mais a seguir!

Como vai funcionar a MP da redução de jornada com redução de salário

Esta ação visa atenderá a 24,5 milhões de trabalhadores e evitar demissões, que poderia passar dos 12 milhões de pessoas. Com a medida, essa projeção cai a priori para 3,2 milhões de trabalhadores. Esta é a primeira etapa da medida e pode ser estabelecida a redução de 25%, 50% ou de 70% e vigorar por 90 dias.

MP da redução de jornada com redução de salário

A segunda etapa da MP permite também a suspensão total do contrato de trabalho por dois meses com o pagamento integral pelo governo do seguro-desemprego. No caso da jornada reduzida, o emprego deve ser mantido também por 90 dias. O acordo deve ser estabelecido entre trabalhador e empresa. Após o período estabelecido, o trabalhador tem também garantia de mais 2 meses de estabilidade.

Medida Provisória referente a Redução de Jornada e Salário + Suspensão temporária do Contrato de Trabalho.

Publicado por OSP Assessoria Contábil em Quinta-feira, 2 de abril de 2020

Participação do governo e condição do trabalhador

O trabalhador que tiver a jornada e o salário reduzidos receberá um auxílio do governo proporcional ao valor do seguro-desemprego. Por exemplo, se o profissional teve 50% de seu salário reduzido, recebe 50% do seu salário em seguro-desemprego. Além disso, vai ter uma jornada menor. E mesmo que futuramente o trabalhador seja demitido, não terá prejuízos e receberá 100% do seu seguro-desemprego normalmente.

Acordo individual

Vale ressaltar que no caso dos profissionais que recebem até três salários mínimos, o acordo para redução de jornada e salário pode ser feita por acordo individual. Neste caso, não há perdas salariais, já que há uma recomposição quase completa por parte do governo.

Porém, para quem recebe entre três salários mínimos e dois tetos do INSS, a redução de jornada e salário terá que ser feita por acordo coletivo, pois compensação da parcela do seguro-desemprego não compensa toda a redução salarial.

Como acontecerá o pagamento?

Ao trabalhador, não é necessário solicitar o benefício. Após acordo com o trabalhador, a empresa comunicará o governo, e o benefício será pago diretamente na conta dele. Vale ressaltar que a medida é válida para empregados domésticos, tanto a redução de jornada quanto a de salário.

Suspensão do contrato de trabalho

O governo permitirá também a suspensão do contrato de trabalho. Neste caso, o trabalhador recebe a compensação do governo de até 100% do seguro-desemprego.

A Medida Provisória ressalta também que no caso de receita bruta de até R$ 4,8 milhões, o governo pagará 100% do valor do seguro-desemprego para os trabalhadores, mesmo aos profissionais que não tenham direito a seguro desemprego.

Contudo, no caso das empresas com faturamento de mais de R$ 4,8 milhões, a empresa será obrigada a pagar uma ajuda compensatória de 30% do salário do empregado e o governo entra com 70% do valor do seguro desemprego. Ao trabalhador tem garantia de emprego durante o período de suspensão e após o restabelecimento da jornada por um período igual ao da suspensão do contrato.

O prazo máximo para suspensão do contrato de trabalho é de 60 dias e no período de suspensão, o empregado não poderá permanecer trabalhando para o empregador, nem mesmo por trabalho remoto.

Demissão é possível neste período?

Esta é uma dúvida muito comum entre empregadores e até mesmo trabalhadores. Conforme estabelece a MP, o trabalhador tem uma garantia provisória ao emprego pelos meses em que ele tiver a jornada e o salários reduzidos e por igual período quando as atividades e pagamentos forem normalizados.

É permitido ao empregador demitir o empregado neste período. Contudo, quando não há justa causa, a empresa precisa pagar as verbas rescisórias e de uma indenização. Essa regra não vale para casos de dispensa a pedido ou por justa causa do empregado.

Quanto à indenização, acontecerá da seguinte forma:

  • 50% do salário a que o empregado teria direito no período de garantia provisória no emprego, quando a redução de jornada de trabalho e de salário for igual ou superior a 25% e inferior a 50%;
  • 75% do salário a que o empregado teria direito no período de garantia provisória no emprego, quando há redução de jornada de trabalho e de salário igual ou superior a 50% e inferior a 70%;
  • 100% do salário a que o empregado teria direito no período de garantia provisória no emprego, quando a redução de jornada de trabalho e de salário em percentual é superior a 70% ou de suspensão temporária do contrato de trabalho.

Polêmica

A Medida Provisória causou polêmica e ainda está sendo debatida. Para muitos, é uma forma coerente do governo apoiar o emprego, as empresas e os trabalhadores. Mas muitos questionam-se como a entrega dos valores vai ocorrer na prática e se o governo tem condições de bancar o estabelecido. Vale ressaltar que até este momento o auxílio prometido para trabalhadores informais não foi ainda aprovado pelo presidente.

Além disso, mesmo reduzindo o trabalho, não garante as medidas de isolamento social, que segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde é a única maneira de combater efetivamente o coronavírus, causador da COVID-19, que vem se alastrando, sem precedentes, em todo o mundo, e causou inclusive estas mudanças trabalhistas.

O que achou das novidades sobre a Medida Provisória decretada pelo Governo Federal? Deixe um comentário e compartilhe os conteúdo da OSP Contabilidade nas suas redes sociais. Siga-nos no Instagram!

Compartilhe: