Ainda é tempo de fazer o seu planejamento tributário deste ano. Planejar deve ser o ponto de partida de todos os processos de sua empresa, e em se tratando de tributos não é diferente.

O planejamento tributário está diretamente ligado à sustentabilidade do negócio e não pode ser negligenciado. Uma vez não realizado, pode oferecer muitos problemas no futuro, já que é ele que define o regime de tributação ao qual a empresa será enquadrada.

É preciso dedicar atenção a escolha do regime de tributação. É importante que o gestor estude as opções ofertadas e converse com o seu contador sobre os pós e contras de cada opção, conforme as condições e necessidades do seu próprio negócio. Isso evitará transtornos, permitirá estar em dia com o fisco e até mesmo impedirá prejuízos financeiros.

planejamento tributário

Selecionamos a seguir 5 dicas essenciais para fazer o planejamento tributário corretamente. Confira!

1) Tenha um contador de confiança

O primeiro passo é conhecer as opções de regimes tributários no Brasil. Você pode pesquisar melhor e previamente e compará-los aos aspectos da sua empresa. Todos possuem vantagens e desvantagens. Uma dica é conversar diretamente com um contador de confiança, uma vez que ele poderá orientá-lo melhor, bem como realizar as ações necessárias quanto ao regime tributário escolhido.

DESTAQUE: O DESAFIO DA CONTABILIDADE NAS EMPRESAS MULTINACIONAIS

Entre em contato com a OSP Contabilidade na hora de fazer o seu planejamento tributário. Acesse este link e confira mais informações sobre as soluções em assessoria contábil que temos a oferecer ao seu negócio.

2) Analise as informações do seu negócio

Reúna todas as informações pertinentes sobre o seu negócio para fazer o seu planejamento tributário. Elas podem ser úteis na definição do regime tributário e para facilitar a sua escolha. Você terá mais condições de comparar os diferentes regimes, suas vantagens e desvantagens. Lembre-se de que além do MEI – Microempreeendedor Individual, existem três regimes tributários que podem ser adotados pelas empresas: Simples Nacional (também chamado de Super Simples), Lucro Real e Lucro Presumido.

Pesquise sobre as seguintes informações referentes à sua empresa:

  • Receita bruta – É o quanto se espera faturar com a empresa;
  • Despesas operacionais para o período;
  • Margem de lucro;
  • Folha de pagamento com funcionários.

3) Faça uma simulação

Simular como será a sua empresa em determinado regime tributário é bem relevante. Utilize as informações que pesquisou sobre o seu negócio e faça simulações manualmente, on-line (em sites específicos para as simulações) ou através de softwares próprios para a função.

4) Conheça os tributos fiscais

Afinal, para que servem os regimes de tributação? É com eles que ocorre o recolhimento de tributos para o governo. Cada regime possui diferentes tributos e a forma de incidência deles. Há, de maneira resumida, os tributos dos seguintes tipos:

Tributos federais – Ocorrem quando o produto deixa a empresa, incidindo o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), cujas alíquotas variam entre 10% e 12%. São eles:

Incidem sobre a Renda Bruta

  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS), com alíquota de 3%;
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Programa de Patrimônio do Servidor Público (PASEP), com alíquotas de 0,65%.

Incidem sobre o lucro:

  • Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), cuja alíquota é de 15%;
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), cuja alíquota é de 9%.

Tributo estadual O ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), cujas alíquotas variam conforme o estado. Este tributo é pago antecipadamente pelo fornecedor.

Tributo municipal – Trata-se do ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza), que possui alíquotas que variam entre 2% a 5% e a base de cálculo pode ser o regime de caixa ou regime de competência.

5) Adquira conhecimentos contábeis

Conhecimento nunca é demais. É importante que o gestor esteja sempre atualizado sobre as tributações e sobre contabilidade, esmo que tenha um especialista à sua disposição. Há cursos específicos para empreendedores e muitas fontes de informações na internet – como é o caso deste blog.

Para começar, procure aprender mais sobre os regimes de tributação e como eles funcionam, os tributos incidentes, a legislação vigente, quais as vantagens existentes para as pequenas e médias empresas e aos microempreendedores individuais.

Veja também: RECEITA LIBERA PROGRAMA DO IMPOSTO DE RENDA 2018

Gostou das dicas sobre planejamento tributário? Está preparado para criar o da sua empresa? Deixe um comentário!

 

Share This