Com a nova configuração do Governo Federal após as eleições de 2018, muitas novidades estão sendo previstas para o Imposto de Renda 2019. Algumas já foram confirmadas, mas muitas das promessas do presidente eleito ainda são uma incógnita. O impacto deve ser bem grande nas contas de milhares de contribuintes. Veja a análise a seguir e saiba o que pode mudar!

Nova Alíquota do Imposto de Renda 2019

O novo secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, ainda não informou ao público qual será a nova alíquota nem sobre qual faixa incidiria no Imposto de Renda 2019, mas deu a entender que haverá reajustes. Como promessa de campanha, o agora presidente defendia a isenção de imposto de renda para pessoas que ganham até cinco salários mínimos a cobrança de alíquota única de 20% para todos as outras. Mas conforme afirmado pelo novo secretário, não haverá uma alíquota apenas, apesar de ser desejado ter poucas.

Aumento da arrecadação

Vale ressaltar que a previsão dos especialistas é que os tributos tenderão a aumentar neste ano, conforme o fluxo dos anos anteriores. Para se ter uma ideia, o Brasil tem 12,2 milhões de pessoas desempregadas e, e para os que estão empregados ou possuem renda, a arrecadação de tributos no contracheque (retidos na fonte) dos trabalhadores é a maior em 10 anos.

Imposto de Renda 2019

Conforme a Receita Federal, o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) recolheu, em 2018, R$ 120,2 bilhões, o que corresponde a uma alta real — descontada a inflação — de 3% em comparação com 2017, quando somou R$ 117 bilhões. Significa que é o segundo ano consecutivo de aumento na arrecadação do governo federal.

Proposta de Novo Imposto de Renda 2019

Segundo o Secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, a ideia é propor uma redução das alíquotas do Imposto de Renda para empresas e para pessoas físicas, mas também a criação de alíquotas adicionais para rendas maiores, pareando o Brasil com outros países neste sentido. Segundo as suas declarações, o caixa do governo não pode ser comprometido, mas pode-se cobrar mais dos mais ricos e menos das pessoas com renda menor – mesmo que ainda seja uma proposta bastante evasiva.

Simplificação Tributária

Outra proposta de Marcos Cintra é criar um imposto único para estimular a progressividade do sistema tributário. O secretário disse que esse imposto pode incidir sobre operações financeiras, sobre o valor adicionado a uma mercadoria em cada etapa da produção e do comércio ou sobre o faturamento de empresas. Mas ainda não foram confirmadas estas novidades, o que não passou de propostas.

Redução da carga tributária

A pretensão do secretário é reduzir a carga tributária, como prioridade, que fechou 2017 em 32,4% do PIB. A simplificação da tributação é o foco do ministro da economia do novo governo, Paulo Guedes, de modo a unificar o Programa de Integração Socal (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Mudanças na Folha de Pagamento

Outra novidade informada por Cintra à imprensa é que o Imposto de Renda deverá ser o único tributo a ser cobrado sobre a folha de pagamento. Hoje as mpresas recolhem o IR no contracheque, mas quem paga é o trabalhador. A ideia é retirar os tributos que incidem sobre os salários.

Novas regras ainda não foram divulgadas

O que causa muito estranhamento por parte dos especialistas e profissionais do segmento é que, estamos quase iniciando o período de declaração do Imposto de Renda 2019, período que inicia no mês de abril, e o Fisco ainda não divulgou as novas regras. O que temos são propostas e suposições por parte do governo. No entanto, é importante organizar seus documentos para evitar atrasos e outros problemas na hora de declarar. Conte ainda com uma assessoria contábil de confiança neste processo! Veja outra novidades no site da Receita Federal!

O que achou das novidades sobre o Imposto de Renda 2019? Deixe um comentário a seguir e compartilhe estas informações em suas redes sociais!

Share This