Skip to content

Cultura da Diversidade na Empresa – Como tornar o negócio mais justo?

Cultura da Diversidade na Empresa

Não é por acaso que a cultura da diversidade na empresa se tornou um tema frequente entre especialistas e gestores. Afinal, mesmo em pleno 2022, a desigualdade social é uma realidade e também está presente nas relações de trabalho.

Cada vez mais as empresas cidadãs e alinhadas com as questões sociais usam como pauta a diversidade na construção de seus modelos de cultura organizacional. E para criar um modelo deste gênero, é preciso entender o que é diversidade, porque a proposta é tão importante e como colocá-la na prática, sem deixar a intenção no discurso.

Cultura da diversidade na empresa – O que é?

No Brasil, temos uma sociedade desigual, que limita as minorias em muitos sentidos. Mas a desigualdade profissional é algo muito alarmante, já que tem a ver com a capacidade de realização, fonte de renda e oportunidades, o que impacta outras esferas da vida pessoal e até mesmo do desenvolvimento da sociedade como um todo.

Logo, pessoas negras, mulheres, índios, portadores de deficiência física e intelectual, a comunidade LGBTQ+ e idosos fazem parte dos grupos de minoria e encontram dificuldade no acesso de direitos e oportunidades.

Para se ter uma noção, apenas 5% dos cargos de direção são ocupados por mulheres no Brasil. Pessoas negras ocupam apenas 0,7% das vagas de liderança e direção (Vagas.com, 2020). E negros fazem parte de menos de 30% do quadro de trabalhadores nas empresas brasileiras (IBGE, 2020). Estes são apenas alguns exemplos.

Como toda empresa deve ter uma postura cidadã, igualitária e de apoiar o desenvolvimento dos profissionais, é importante que construam modelos de negócio igualitários. Uma vez que se combate problemas como racismo, preconceito etário e de gênero, exclusão pelo acesso físico, etc., todos ganham.

Qual a importância da diversidade nas organizações?

Quando falamos de diversidade na empresa, ela não está limitada às contratações PCD – Pessoas com Deficiência. O Brasil é um país diverso, e na mesma proporção, tem problemas estruturais em relação ao preconceito que devem ser combatidos por todos, em um esforço comum. O acesso às oportunidades igualitárias de trabalho é um passo importante para lidar com estas questões.

Além disso, investir na diversidade e contratar pessoas diferentes passa a ser um diferencial competitivo principalmente para empresas que desenvolvem os próprios atributos internamente. Diversificar o público interno expande as possibilidades da aprendizagem colaborativa, de produtividade, diminui estereótipos, cria um ambiente mais acolhedor e plural, que deve ser institucionalizado na empresa.

Como torna a empresa diversa?

Há muitas formas de favorecer a diversidade na cultura da organização. O primeiro passo é entender e valorizar a diversidade em todos os sentidos: nos produtos que se cria, no espaço compartilhado, nas ideias que a empresa transmite, na criação de produtos e serviços para diversos públicos, nas políticas internas, em processos seletivos mais inclusivos (como a seleção às cegas, por exemplo), na adaptação dos recursos, na educação para os novos colaboradores e até mesmo para que os clientes entendam o conceito.

Também no plano de cargos e salários e nas oportunidades que possam ser oferecidas de forma equânime. A empresa deve pensar uma estrutura que eduque, acolha, valorize e gerencie conflitos, que possam acontecer.

É importante que a diversidade esteja no DNA da empresa e possa ser vivida como uma experiência real, diariamente. Logo, todas as suas decisões devem considerar valores, atitudes e ideias e devem estar alinhadas neste sentido.

Veja também: Accountability – Como otimizar a prestação de contas

Gostou das dicas sobre cultura da diversidade nas empresas? Deixe o seu comentário e compartilhe estas ideais em suas redes sociais. Siga a OSP Contabilidade no Instagram!

Compartilhe: