2018 mal começou e já termos mudanças à vista no novo Simples Nacional. Se você ainda não fez o agendamento de opção por este regime ou quer se inteirar sobre as mudanças do Simples Nacional 2018, vale a pena ficar atento! Veja um pequeno resumo destas alterações!

Mudanças no Simples Nacional 2018

A primeira mudança, que traz vantagens para determinados negócios, é que as empresas que atualmente fazem parte de outro regime tributário, como Lucro Presumido, poderão solicitar enquadramento no Simples Nacional.

simples nacional

Isso porque o programa passou por revisões e novas práticas a fim de oferecer mais vantagens aos empresários. Além desta alteração, o Simples Nacional deve contar com outras mudanças significativas, que você confere abaixo:

  • Novos limites de faturamento – O aumento no teto de faturamento foi de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões por ano. Esta mudança traz novas vantagens, já que permite a quem já faz parte do Simples faturar mais sem medo de ser desenquadrado.
  • Novas alíquotas e anexos – Agora serão apenas cinco grupos de atividade com alíquotas de impostos distintas de acordo com as faixas de faturamento – anteriormente eram seis no total. Vale ainda ressaltar que há atividades que terão carga tributária reduzida. É o caso das empresas de tecnologia, serviços médicos, arquitetos e design, por exemplo. Em suma, o anexo VI deixará de existir e os anexos III e V vão passar por fortes alterações no Simples Nacional em 2018. Outro ponto importante sobre as novas alíquotas é a nova relação entre folha de pagamento e faturamento, relativa aos últimos 12 meses. Desta forma, se a folha de pagamento for maior ou igual a 28% do faturamento, a empresa será encaixada no novo anexo III e terá alíquota inicial de 6%.
  • Novas atividades – Esta é uma novidade do Simples Nacional para 2018 que interessa a grande parte dos empresários ou pessoas que almejam empreender no ramo de bebidas. Em 2018, micro e pequenos produtores e atacadistas de bebidas alcoólicas (cervejarias, vinícolas, licores e destilarias) poderão optar pelo Simples Nacional, sendo preciso que estejam inscritos no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esta é uma boa notícia para o segmento, que vem crescendo e se destacando nos últimos anos, mesmo em crise financeira.
  • Exportações – Uma boa notícia também para as empresas de importação e exportação. Quando uma empresa do Simples Nacional contratar uma empresa de logística internacional, a empresa de fora do país tem a possibilidade de realizar as suas atividades de maneira mais flexível e por meio eletrônico. O resultado esperado é a redução de custos do serviço aduaneiro.
  • Mais fiscalização – A fiscalização vai aumentar e é preciso estar preparado! Isso porque o novo Simples permite a troca de informações entre a Receita Federal, Estadual e Prefeituras, e desta forma, qualquer desencontro de dados terá uma visibilidade ainda maior. A dica é estar sempre em dia com as suas obrigações e de sua empresa e contar com um contador de sua confiança.

Outra novidade diz respeito a assuntos trabalhistas, metrológico, sanitário, ambiental, de segurança, de relações de consumo e de ocupação de solo, em que a abordagem da fiscalização deve ser prioritariamente orientadora. Desta forma, o empresário que for fiscalizado terá um prazo para regularização antes de aplicar uma multa.

A quem impacta estas transformações?

Conforme anunciado pelo Sebrae, há cerca de 12 milhões de empresas no Brasil que fazem parte do Supersimples. Em 2018, mais de 820 mil Micro e Pequenas Empresas (MPE) e 513 mil Microempreendedores Individuais (MEI) serão impactados pelas novas mudanças do Simples Nacional. Mas de uma forma geral, toda a sociedade brasileira deve perceber as mudanças. Em suma, as novas mudanças previstas para 2018 são mais positivas que onerosas, o que é uma boa notícia para o empreendedor brasileiro.

Veja também: 5 aplicativos inteligentes para organizar as suas finanças pessoais

Preparado para as mudanças do Novo Simples para 2018? Deixe um comentário!

Share This