Erros mais comuns na gestão de estoque | OSP

 

O estoque é um setor estratégico em muitas empresas, no entanto, ele nem sempre recebe a atenção que merece. Porém, ao saber quais são os erros mais comuns na gestão de estoque, você pode identificar o que está fazendo de errado no seu negócio e mudar o seu comportamento e o da sua equipe para obter mais sucesso nas vendas.

Não registrar as movimentações do estoque adequadamente

O primeiro passo para uma gestão de estoque competente é registrar todas as entradas e saídas do setor. No entanto, isso deve ser feito de maneira apropriada, preferencialmente, com o uso de ferramentas tecnológicas, ainda mais se o fluxo de movimentações for grande.

Se a sua equipe ficar anotando em papéis o que entra e o que sai do estoque, essa informação se torna inútil. Mas ao informatizar esse procedimento, é possível gerar relatórios e ao final do dia, do mês e do ano saber exatamente quantas unidades de cada mercadoria foi vendida.

Não treinar a equipe para ajudar na gestão do estoque

Não adianta nada contar com o software de gestão de estoque mais moderno se a sua equipe não sabe utilizá-lo de forma adequada. Por isso, é também preciso treinar as pessoas que diretamente são responsáveis pelas entradas e saídas do setor.

Se todas as informações forem organizadas de maneira adequada, mesmo em planilhas de Excel, é possível utilizar de muitas maneiras eficientes os seus dados.

Não usar os inventários para as estratégias de venda

Seja recursos mais simples ou mais modernos, a partir do momento que se tem o trabalho de registrar as movimentações do estoque é preciso fazer uso dessa informação. Ao considerar as entradas e saídas do setor é possível acompanhar o comportamento de compra dos clientes e, assim, identificar quais as ações de vendas são mais eficientes para atrair e conquistar o seu público alvo.

Afinal, com o adequado registro das movimentações e o posterior inventário você consegue identificar em que época do ano determinado item é mais vendido. Dessa forma, é possível evitar perdas nas vendas por conta da sua falta em estoque. Você também consegue averiguar quais as mercadorias que estão só pegando pó para eliminá-las do seu mix de produtos.

Não avaliar o tempo de estocagem de cada item

Mercadoria parada é dinheiro parado e, se os itens nunca saírem do estoque, então, é prejuízo. Tendo isso em mente, é importante saber da necessidade de identificar o tempo de estocagem de cada artigo. Ou seja, em média, quanto tempo esse produto fica parado esperando ser vendido.

Quando esse tempo é longo de mais, mais uma vez, pode ser desnecessário ao seu mix de produtos. Porém, mais do que isso, em empresas que vendem produtos com data de vencimento esse cuidado deve ser maior ainda para evitar que passem da validade.

Além disso, registrando tudo e criando um histórico completo você pode identificar que determinado item, por exemplo, não vale a pena comprar em janeiro porque costuma ter saída só a partir de abril.

Não gerir o estoque em conjunto com o setor financeiro

Quando se tem um negócio, é preciso gerenciar todos os setores de maneira conjunta, pois um depende do outro. Isso quer dizer que não dá para pensar em ações de maneira isolada. Além disso, é com o controle do setor financeiro que se pode averiguar melhor qual a quantidade de produtos que se pode comprar para posterior revenda.

Da mesma forma, quando a empresa produz o que vende, é preciso comprar matéria prima e, para medir a quantidade do que precisa, além de manter uma comunicação estreita com a fábrica, deve verificar com o financeiro quanto pode ser investido. Isso quer dizer que empresas preocupadas com o estoque também devem ter profissionais contáveis capacitados.

Essas informações foram úteis a você? Deixe o seu comentário: